31 agosto, 2011

na noite

foi ali naquela esquina que tudo mudou. e quando digo tudo,foi tudo mesmo.caminhava sem me importar com o amanhã,caminhava devagar à espera do nada,à espera de me embalar. tu olhaste-me com uns olhos intrigantes e cheios de curiosidade.  Posso até dizer que não me surpreendeu visto que não me identifico com ninguém. estavas encostado a um muro,com um ar despreocupado,desleixado. lembro-me tão bem destes segundos a seguir,ainda pendentes no tempo. em que eu olhei para cima,depois para a direita,olhei para ti durante 3 segundos e voltei a olhar em frente. fiquei fraca depois,com um desconforto. parecia que os teus olhos me tinham despido da forma mais rude de sempre. fizeste-me um sinal com a mão e  eu parei. lembro-me de me interrogar 10 vezes seguidas: porquê?. juntaste-te a mim com toda a lata e começaste a falar da cidade. falaste da loja de relógios,da fonte junto ao jardim,do café que só abria de manhã, da calçada,dos prédios e por fim,do ar de todas as pessoas que passavam. não me lembro de ter dito uma única palavra,só expressões. eras diferente. tão diferente. e talvez por isso não desviei o caminho e segui contigo pelas ruas estreitas. quando acabaste de falar durante pelo menos,1 hora e meia seguidas,questionaste-me. "és feliz?". sempre directo. sempre descontraído. confesso que foi das perguntas mais difíceis que algum dia tive que encarar. encolhi os ombros e fechei os olhos. voltas-te a perguntar "tens medo de ser feliz?" fiquei frágil como se me tivessem arrancado os meus tesouros. como é que era possível uma pessoa que nunca me tinha visto,não sabia sequer o tom da minha voz,o meu nome,apenas conhecia a minha presença,ter conseguido colocar-me no estado mais vulnerável? fiquei-te com raiva,ao inicio. lancei-te um olhar de ódio e tu percebeste. ficámos parados,calados,sentados no banco de uma rua esquecida. pensei. sendo uma noite no meio de tantas,porque não? nesse momento,pronunciei as primeiras palavras "tenho medo de deixar de ser feliz. e por isso,prefiro não experimentar a felicidade" olhaste para mim,sorriste e voltaste a olhar para mim. parecias encantado. continuei "nunca ninguém percebeu esse ponto de vista,mas é o meu e o que me guia noite e dia. não sei mostrar sorrisos. tenho medo de me iludir apesar de nem saber o que isso é na prática. porque para mim,a felicidade é ilusão. vejo tudo negro e perto de um abismo. não sei andar de cabeça levantada. não sei sequer o que é dar um conselho. não sei o que é chegar a casa,recolher-me no sofá,ver televisão e dizer que se está feliz. eu faço isso quase todas as noites e não me muda. talvez não queira mudar. talvez sejas um anjo que ande aí e estivesse a minha espera porque nunca ninguém me soube abrir o coração como neste momento. sinto-me aliviada e sei que amanhã vou estar arrependida" estremeci de uma forma assustadora. estava assustada comigo mesma,com as palavras que me fluíam sem parar,com o teu olhar directo,com a noite,com o que seria de mim depois daquilo. tinha que voltar ao meu estado normal,o mais confortável. tinha que me recompor. deste-me a mão com força e chegaste-te ao meu ouvido. o meu sangue congelou. as palavras que se seguiram formaram e ainda formam hoje a melhor melodia. "pois eu digo-te,eu já experimentei a felicidade e ela não é uma ilusão. deixa-me ensinar-te a viver". deixei-me levar. estava num misto de tudo. levantámo-nos do banco e saímos da cidade. lembro-me tão bem de esfregar os olhos e ouvir-me dizer "não tens nada a perder. se caíres, ele apanha-te". hoje,somos dois. hoje,somos enamorados. hoje,somos aprendizes da vida. aquela noite,aquela esquina,aquela hora,tu naquele lugar. aquilo estava guardado para mim. o mundo abriu-me as mãos,precisava de mim. e hoje sinto que não perdi tempo. o que fugiu,eu agarrei-o.  hoje,somos a felicidade, na sua verdadeira forma. 

13 comentários:

ana minhalma disse...

tão lindo

Sofia Moreira disse...

adorei querida :)

annie disse...

mas que texto, fantástico, joana <3

beatiz disse...

- G O S T E I !
de nada. fica descansada :) beijinho*

carina disse...

e eu do teu, normalmente tenho alguma preguiça em ler textos grandes mas quando se trata dos teus, nunca me arrependo no final

Emmeline disse...

sabes,o meu coração diz me que estas feliz e sabe taaaaao bem sabe lo. <3:)

ines disse...

Ai mas que bela história joaninha. Todos nós precisamos de alguém que nos ensine o sentido de felicidade, mentalizamo-nos que não o conseguimos fazer sozinhos

Maria Filipa disse...

está fantástico joana *

ana moura disse...

porque joana?
olha adorei tanto, tanto.

ana moura disse...

oh joana fico tao contente. e acho a tua escrita fantástica

Emmeline disse...

a musica achei a realmente um encanto, apaixonei me por ela:) oh,ternura!! um dia temos mesmo de ter uma conversa, uma conversa daquelas de chá

c.Fernandes disse...

"hoje,somos a felicidade, na sua verdadeira forma. "
Tipo eu amei o texto, está fantástico :o

Mafalda disse...

E isto está lindo*