11 julho, 2011


nunca contei pormenorizadamente a nossa rotina a ninguém. é uma rotina pequenina,mas que nos sabe tão bem. As vezes também gostamos de sair dela,mas a maior parte dos dias,chamamo-la para ela vir connosco. começa com a manhã,acordamos sempre com os pés gelados. seja verão ou inverno, somos ambos gelados nos pés e isso nunca vai mudar. Então,como por instinto, eu aqueço os teus e tu aqueces os meus. sabe-nos melhor do que se fosse cada um por si. E depois desse miminho, começamos a puxar-nos para cima em tom de acordar. Não me lembro de um único dia em que não o façamos. À tardinha, se ficarmos por casa, acabamos sempre por beber um chá. E o mais engraçado é que começamos a dar por falta dele à mesma hora e começamos a olhar em volta. Costumamos bebe-lo na varanda,ao vento. dizes sempre que ele assim ganha outro sabor,e é verdade. À noite,ou no inicio dela, ficamos os dois muito pensativos. E quando isso acontece,recolhemos as mãos e baixamos a cabeça. Costumo olhar para ti quando estás pensativo. Gosto tanto. Ficas diferente,ficas calmo. Quase que nem pareces tu. Mas nunca tento interromper,gosto das tuas próprias conclusões e das tuas marés de sonhos. E quando despertas,fazes sempre um sorriso. Como se tivesses acabado de ver o mar ou tivesses acabado de ver a melhor maravilha do mundo. Não costumo mostrar tanto o meu,mas é verdade que sempre que acabo de pensar,gosto de te tocar e isso faz-me sempre sorrir. E o melhor na nossa rotina,esta rotina saudável que nos faz ser quem somos e ninguém ser igual a nós, é mesmo quando nos vamos deitar. Seja na cama,seja quando nos deitamos no sofá já a saber que ficamos por ali. dizemos sempre que gostamos muito um do outro e enquanto o dizemos,arregalamos os olhos. Eu costumo tocar-te no cabelo. Tu gostas mais de tocar-me no nariz. Mas não é algo que dizemos com a sensação de que já é rotina,temos uma obrigação. Nunca foi assim. É a nossa hora para soltar o que acumulamos durante o dia e o que observamos. E todos os dias,quando nos observamos,sabemos sempre que naquela noite,o "gosto muito de ti" terá um sabor ainda mais especial que o anterior. E é assim,que fico sem me importar de ser tão igual a ti e tu tão igual a mim. Nunca me soube a estranho,nunca me soube a algo mais amargo. Porque no fim de contas,tu continuas a ser tu,eu continuo a ser eu,mas somos sempre um do outro,até fora de rotinas. 

19 comentários:

Maria Filipa disse...

sair da rotina é óptimo :)

inês disse...

tu é que és uma joana linda <3

Rute Maia disse...

ganhamos apreço a certas rotinas, algumas até desejamos que perdurem (...)*

ivone silva. disse...

gosto tanto!

marta disse...

adoro, adoro, adoro *.*
és a minha escritora de eleição jo ;D

Leonor disse...

que lindo, Joana! :)

RS disse...

Olá querida!
Convido-te a visitares o meu blog de venda de roupa em 2º mão.
www.itsabeautifulmonday.blogspot.com

Beijinho,Rita *

ivone silva. disse...

muito obrigada joana! digo-te o mesmo, para o que precisares:)

cláaudia disse...

gostei imenso (:

Inês disse...

isto é que foi bom ler; tu és uma verdadeira escritora, Joana. é sempre tão bom visitar-te, e esta música é qualquer coisa. bom, vou comer e depois voluntariado: tenho novidades, mas só vou poder publicar mais tarde. amanhã, vou para o Meco - deseja-me boa viagem.
beijinhos.

Emmeline disse...

Apaixono me sempre que cá venhho, e isso é tãaao reconfortante

annie disse...

joana, joana, este texto está um amor daqueles, tão riquinho, adoro. e com esta música no fundo <3

Mafalda disse...

Oh Joana cada vez mais é apaixonante ler-te, cada vez mais, os teus texto são cada vez melhores!

ana moura disse...

rotinas, oh as rotinas

Maria Filipa disse...

ainda bem que ficam joana *

ana moura disse...

não, mas há rotinas e rotinas

tha disse...

que linda rotina.

Esboços disse...

Também quero uma rotina dessas pá :P

ST disse...

que lindo que está este post, deixou-me a sonhar! um beijinho virtual