02 abril, 2011

minha querida alma

minha querida alma,não te cansas de ti própria? tenho que te confessar. as vezes,mas só as vezes,canso-me de viver em mim. canso-me de ter sempre os mesmos gostos,os mesmos gostos que tu. canso-me de não ver mais nada para além do que é obvio,canso-me de gostar só daquilo que me faz bem. canso-me da minha rotina aos sabados de manha,canso-me de nunca te ouvir e derepente,passar a ouvir-te demais. canso-me que as vezes sejas tão pequenina mesmo eu sabendo que consegues guardar milhões de coisas,mas nunca ninguem o vê. não te cansas de ti própria? não te cansas de estares escondida? desculpa,desculpa se nunca te dei a chance de ouvires outra igual a ti. de ouvires outra diferente de ti e aprenderes com ela. desculpa se te fecho bem cá dentro para nunca ouvires aquilo que eu ouço,para nunca deixares de ser grande de tão pequena que és. sabes, dias não são dias e eu tambem me canso de ser sempre igual a mim. de não sentir qualquer coisa nas veias,qualquer coisa que te faça agitar. também deves ter essa curiosidade,não é? pois bem,mereces mais que eu porque sempre te mantes-te calma para que eu não perdesse as direcções. mereces mais que eu porque esperas-te que eu te desse o teu valor. e tu tens muito valor. mais valor que outras almas,que outras pessoas. bebe só mais um dia igual aos outros,e dias não são dias.

9 comentários:

Mafalda disse...

Adoro Joana, que força de palavras*

raquel disse...

talvez..
oh como eu gosto de ler estas 'coisas e coisinhas' *

Neuza disse...

está perfeito!

karina disse...

de nada joana :) obrigada eu.

Mafalda disse...

Obrigada querida, muito obrigada:)

vera disse...

"sabes, dias não são dias e eu tambem me canso de ser sempre igual a mim. de não sentir qualquer coisa nas veias,qualquer coisa que te faça agitar", está lindo joana!

annie disse...

adoro as palavras que tu usas, adoro a forma como trabalhas as palavras. adoro ler-te <3
e muito obrigada mesmo *

marta disse...

adoro, adoro e ADORO! :)

jo disse...

há dias em que também me canso de mim própria e da minha alma! e mudar-me, muda-la é um processo demasiado longo, e que dói, dói muito, bastante até.