07 abril, 2011

   as vezes é nos maiores sustos que encontramos o melhor de tudo. a vida é traiçoeira e enquanto não nos vir   quase no fim do poço,não nos dá descanso. quer-nos com os olhos bem abertos e parece que só dá duas oportunidades. a primeira vez é para aprender,a segunda é para castigar. e a verdade é que quanto mais nos castiga,mais aprendemos a andar de olhos abertos. é como se ela própria tivesse um raciocínio lógico e pensasse antes de acontecer. e traiçoeira como é,não nos sussurra esses ensinamentos. só depois de a conhecermos. já aprendi a abrir bem os olhos antes de perder a minha segunda oportunidade. aprendi a antecipar-me em varias situações,mas são as situações mais pequenas. as grandes.. as grandes continuam a ser pouco remexidas para o caso de a vida ser traiçoeira de vez. e nesses casos,não é na vida que não podemos confiar,é simplesmente em nos próprios. condicionados por ela,e ela condicionada por nós. é tudo um vai e vem de antecipações e riscos. mas se a vida não fosse um risco

4 comentários:

Mafalda disse...

«mas se a vida não fosse um risco» perdia metada da piada. Adorei o post*

annie disse...

está tão verdade. "quer-nos com os olhos bem abertos e parece que só dá duas oportunidades. a primeira vez é para aprender,a segunda é para castigar.".
nem sabes o quanto me fez feliz ler o teu comentário <3

cláaudia disse...

gostei muito deste post (:
A vida é uma passagem de momentos, e temos que aproveitar cada um como se fosse a última oportunidade para sermos felizes ..

RuteRita disse...

adorei muito este post !
já voltei princesa