16 junho, 2013


Ela era a rapariga que não se queria perder. Contava cada palavra e cada gesto com se fossem números por calcular. Aprendeu a viver na sombra e esqueceu-se do que a distinguia: o saber viver. viver o amor.   Era ele. Ele que a incentivava a passar por entre o nevoeiro. Ele que a estimulava a estar sempre alerta. Era ele, mesmo sem saber. O imprevísivel, o abominável, o desejado, o cancro da vida e o paraíso entre linhas. Ela que não sabia estar sem o carinho no coração ou o rasto na pele. Assustada pela ilusão. Pela frustração. Pela ignorância. Cheia de nódoas negras. Deixou de se deixar levar, trazia-lhe desconforto. Medo do dia seguinte. Não gostava de se arrepender e preferia calcular. Ás vezes não sabia dizer que não. Era a louca apaixonada com a esperança num pé e a aflição noutro. Deixou de reconhecer o amor quando esvaziava a alma. No fundo, foi vestindo peça sobre peça para não lhe ver as feridas que causa. A permanecer num estado de apatia e de sonhos. Nunca foi aquilo que ela imaginou. O sonho sobre um sonho, vivido numa só realidade.

5 comentários:

emma disse...

Que belas palavras!

Ivy disse...

lindo!!!

inês disse...

que lindo, meu deus

Emmeline disse...

Minha linda

Rute Maia disse...

Olá! O meu nome é Rute Rita, e eu sei que isto pode não ser muito correto da minha parte mas eu vim aqui perguntar-te se tu gostas de moda, eu aposto que sim! (: Então, tudo o que te quero dizer é que eu tenho uma página sobre moda onde eu posto algumas noticias sobre celebridades, outfits, looks da passadeira vermelha, entre outras coisas nesta indústria. Eu adoraria que lá fosses dar uma vista de olhos e contribuísses com o teu “gosto”! (: Eu não te quero incomodar, mas eu ficaria muito contente se pudesse contar contigo! http://www.facebook.com/laritagiacco
PS: os post’s estão maioritariamente em inglês, pois muitos dos meus seguidores são do estrangeiro*