01 outubro, 2012

Não sei se crescer será sempre sinónimo de evoluir. Tenho dúvidas e alguns deslizes. Já nem sei se gosto de a dizer,se faz sentido para mim. É tão ruim. Acharmos que mantemos tudo intacto até ao momento que largarmos e afinal,somos largados primeiro. Afinal,não temos todo o poder nas nossas mãos e talvez afinal,tornamo-nos mais dependentes do que algum dia achámos ser.  E é tão ruim apercebermo-nos disso porque crescemos. Tão ruim sermos obrigados a crescer para acompanharmos o ritmo a nossa volta. Era tudo tão bom antes. Tudo tão calmo,tudo tão nosso. Tão um mundinho á parte enquanto o tempo não nos ocupasse o tempo todo. Era tão rotina,tão o suspiro de alívio. O tempo de parar,olhar para dentro e tropeçar no veneno ou no remédio que se juntou durante os dias. Era tudo tão intacto, tão estranho se desaparecesse. É tudo tão nostálgico e o tempo nem passou. Cresceu-se no tempo,foi isso. O tempo passou a andar acima de nós e nós a andar atrás dele. Cresceu-se...e como sabe mal dizê-la neste momento. Que saudades da inspiração. De receber e dar que só isso é que contava. Que saudades de me perder. Que saudades de fazer tão parte de mim. Que saudades de parar um bocadinho e apreciar. Que saudades de não me aperceber do tempo a passar. 
para vocês

5 comentários:

han disse...

e que saudades que isto deixou

mary disse...

nostalgia a pairar agora em mim. sabes doce joana? adoro-te

Aurora disse...

tão linda a escrita

inês disse...

era tão mais fácil assim joana..

emma disse...

Adorei o blog Joana. Vou seguir :)