12 maio, 2012

Não há nada que te possa dizer que saia tão bem quanto um beijinho de bons dias. Quanto um caminho longo de mãos dadas. Quanto sorrisos abertos no inicio e no fim de nada. És o presente que tento abrir todos os dias com a mesma dose de esperança ou talvez a mesma dose de amor. O amor incerto,o amor inconstante,o amor nosso. Tens em ti todos os desejos a percorrer,todos os medos,todas as ilusões,todos os prazeres. Tens em ti o bocado de mim que apagou as pedras de regresso. Tens em ti o suave cheiro da vida que me acorda todos os dias com o mesmo tom de voz. Tens em ti os fins da tarde,as noites de verão,a lua por metade e o meu tempo na mão. Tens em ti os dias de cada vez que cada compasso me segura ao chão. Não esperes que o vento nos leve. Constrói a nossa própria ponte e convida-me a atravessá-la. Não adormeças. o que ainda nos falta tem o nome de melhor experiência inesperada. 

6 comentários:

sophie disse...

adorei:)

Ana Margarida disse...

Que lindo, que lindo.

Jun disse...

Que lindaaaaaa

Emmeline disse...

princesa!!! nao consigo achar te melhor do que aquilo que és, mesmo que pensar te seja a utopia que nos une quando na verdade não estás aqui, ou eu aí "mas muito mais é o que nos une, que aquilo que nos separa"

Emmeline disse...

<3

annie disse...

escreves tão bem, e eu também já tinha saudades disto.