03 março, 2012

pus pausa na música e fiquei a ver-te dançar. parece que estás lá em cima,a pisar nuvens em vez de chão. parece que não sabes bem onde começam e acabam os teus limites,mas tens sempre a pausa perfeita. 
és um pequeno pedacinho de alma,não de matéria. E por isso é que te tenho tão bem,de maneira tão certa. fazes voltas e continuas a sorrir,como se nunca fosse demais. chamas-me para eu me juntar a ti. Era manhã de outono,daquelas manhãs em que deixamos sempre as janelas fechadas e começamos a ligar os aquecedores. Era uma daquelas manhãs em que estão os cobertores amarrotados em cima do sofá e um cheiro de chuva com folhas de árvore. Era uma dessas manhãs em que nos acordávamos um ao outro para podermos tomar o pequeno almoço ao mesmo tempo. Chegou até a ser uma manhã de memórias,só porque compras-te um filme para vermos durante o dia e porque ligaste a lareira,em vez do aquecedor. as pequenas coisas. Dei por mim a olhar para ti,de olhos vidrados,sem nunca deixar crescer uma ideia de descontentamento. Dei por mim a olhar para ti e a ver-me a mim. Dei por mim a questionar-me sobre o que realmente tenho e não tenho. nesse pequeno instante de tempo,puxas o meu braço um bocadinho para a direita como que um alerta para a realidade. ouvi-te dizer "no amor,pouco se deve reformular". E lá estavas tu a olhar para a televisão,como cá e lá,dentro e fora de mim,a ser a pergunta e a resposta. Sabes tudo,e sabes tanto do presente. Sabes o que deves ter,não o que tens. basta-te,num dia de cada vez. É por isso que tu és mais alma que matéria,é por isso que tu és o senhor,o verdadeiro senhor da razão. É por isso que continuo a não pedir nada e a ter aquilo que a vida acha que me pertence. é por isso que continuo disponível e nunca fecho o coração dentro de um armário. Ele quer respirar,precisa do colo de descanso. Neste dia,tal como os outros dia de outono,mimaste-o com favores. O problema será viver neste presente,quando já nasceram os dias de sol e os frutos nas árvores. Tu e o teu poder de enfeitiçar,tu e o teu poder de ter palavras certas. Acorda-me quando souberes o que não deves ter. acorda-me para sairmos de mãos dadas mesmo que penses que o teu presente já não está aí. Sabes,também tenho algo para te ensinar. Quando dois corações se conhecem tão bem,não gostam de ficar sem resposta. Preferem acenar com um travo de ilusão do que deixar de ver,como se fosse apenas a sombra de um sonho. Tenta cuidar bem de mim,enquanto eu for o teu agora. tenta não te esqueceres de me chamares meu amor,só porque fica guardado no lugar quentinho do meu coração. Tenta,porque tentar vai fazer crescer um futuro. E do futuro,preocupamo-nos nós depois. 

5 comentários:

sophie disse...

adorei joaninha :)

Rute Maia disse...

Identifiquei-me mesmo! *o*

inês disse...

"Quando dois corações se conhecem tão bem,não gostam de ficar sem resposta." tão de alma

inês disse...

não tens de quê:)

cláudia disse...

'Quando dois corações se conhecem tão bem,não gostam de ficar sem resposta.' é isto exatamente, o que sinto..
muito puro, muito bonito joaninha*