31 março, 2011

há qualquer coisa neste meu mundo que não funciona como deveria. não é suposto ser o nosso mundo?termos mau nele,só nós sabermos os mais íntimos pormenores e conseguirmos dar as voltas necessárias. não é suposto? o meu,continua em todas as mãos menos nas minhas. e nunca sei porquê. fugiu-me desde que eu deixei de lhe dar ouvidos. até ele conseguiu escapar-se. por todas as mãos que passa,nunca nenhuma o endireitou nem lhe pôs os pés acentes na terra. nunca nenhuma o quis fazer,creio eu. e por ele ser de pernas para o ar é que o quiseram ainda mais. sou a sombra dele,sempre fui. remexem-lhe nos baús dos segredos, remexem-me nas caixas de surpresas. e agora,agora não sei como rouba-lo das mãos de quem não pertence. não sei se o quero,não sei já se também me pertence a mim. deixou de fazer sentido pedir-lhe apelo ou pedir-lhe para alcançar novos rumos. já não sei se eu própria me pertenço visto que sou a sombra nas mãos de desconhecidos. e se já não sei como chamar por ele,quanto mais entrar dentro dele. olho,olho de longe à espera que alguém me diga que ele vai cuidar de mim como eu não sei cuidar. 

7 comentários:

Marta Sofia disse...

Adorei :')

Mafalda disse...

Gostei muito, aliás gosto mesmo muito do que escreves*

vera disse...

sim, claro que haverão dias em que me orgulho do que sou, mas não deixo de achar exactamente o contrário no geral :/

este texto disse(-me) praticamente tudo, joana*

annie disse...

está lindo, lindo mesmo. "olho, olho de longe à espera que alguém me diga que ele vai cuidar de mim como eu não sei cuidar." <3

Alexandra disse...

Está perfeito, parabéns.

karina disse...

adorei, e adorei o blog fofinha* vou seguir-te*

simple mind disse...

Espero que tenhas razão querida.
Que texto tão bonito e profundo... mais uma vez adorei1