24 novembro, 2010

"longe de ti não sei se estou perdido,apenas sei que me sinto só,e so penso em voltar para o teu lado. dizem que os homens não têm coração porque nunca viram o meu,que deve ser maior do que eu,pois nele cabem a minha mae,a minha filha e tu, se lá quiseres entrar: não obrigo ninguém a nada, estas a vontade,a casa é tua e por fora,cabeça,tronco e membros,carnes e coração,tempo e alma. gosto de ti de uma forma que não consigo nem quero explicar,gosto de ti assim, despenteada,um bocadinho carente,as vezes muito cansada; gosto das tuas gargalhadas sacudidas,das tuas mãos compridas,das tuas ancas estreitas a que me agarro como pegas de guiador de bicicleta,gosto da tua boca quando toca na minha e dos teus ombros que se enroscam por entre os meus,quando tens medo do passo seguinte.Eu tambem tenho medo,mas nao digo nada. Gosto de sorrir para a vida e pensar que vai correr bem,mesmo quando os dias me trocam as voltas e chego a noite estoirado a casa,sem encontrar sentido as coisas. Não sei se caiste do céu,nunca ouvi dizer que o chiado era um aeroporto de anjos,mas agora que vieste de um planeta diferente,não te vás ja embora,a casa é tua,entra,experimenta,mora um bocadinho no meu coração e ouve o teu bater. talvez ele te diga que este é o teu lugar e chegaste ao fim da tua viagem. A casa é tua, fica-te por aí ate saberes o que queres,porque querer é poder e se depender de mim, eu quero que fiques para sempre, enquanto o que sinto por ti for verdade"  margarida rebelo pinto