06 setembro, 2010

nenhuma coisa é homogénea, nem mesmo a beleza, pode alguma vez ter a força de um lugar, como aquele em que todos os conflitos estão reunidos: o repelente e o atraente, o bonito e o feio. Não há nada que não seja bonito, só nos encontramos em nos mesmos esse defeito: a fealdade. A imperfeição tem uma força enorme. E é aí que nos apaixonamos. É aí que nos perdemos. quem diabo é que quer a perfeição? e não apenas na beleza, mas em tudo. Pois nem sequer a totalidade é perfeita.

1 comentário:

A* disse...

Pois , devo-te um pedido de desculpas Jo.
Eu criei a página , mas como tinha poucos desafios e também me disseram que havia muitos blog's com a mesma iniciativa eu acabei por deixara págiana só com selos. :o